sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O Discurso do Rei



Acabei de assistir ao filme "O Discurso do Rei" e entendo porque ele é um dos favoritos ao Oscar...
Sempre que vemos um filme sobre a realeza ele tenta mostrar que os nobres são tão normais quanto quaisquer outros cidadãos, porém, sempre fica algo clichê e forçado, como se não houvessem outras maneiras de tornar a história crível. Em "O Discurso do Rei" a história é verdadeira e simples, e além disso convence...
Imaginem vocês, a Inglaterra às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o rei George V morre e seu primogênito assume o trono para depois de pouco tempo renunciar ao "cargo"; em seu lugar entra o Duque de York que passa a chamar-se George VI... Uma nação representada por um único homem que é a voz de seu povo, contudo, esse homem mal consegue falar devido à sua gagueira... Num período em que Hitler dominava os palanques com seus discursos inflamados e perfeitamente pronunciados, a Inglaterra tinha um rei que não conseguia falar uma frase ininterruptamente... 
Além do drama fonético, o longa também se apóia na insegurança de um homem que tem o dever de representar uma nação e o quanto isso está fora de suas mãos...
Desculpem o trocadilho, mas Colin Firth está majestoso no papel de George VI, ele consegue representar bem a figura frustrada de um homem que se vê obrigado a aceitar uma posição para a qual não está preparado e faz as cenas de gagueira de modo convincente, sem ficarem cômicas ou muito carregadas. Outro grande destaque fica por conta do ator Geoffrey Rush, que interpreta Lionel Logue e é o centro de todas as ações e reações do filme; e não posso me esquecer de falar da fotografia que é simplesmente impecável, condizendo plenamente com a história e sua estrutura.
Particularmente, meu favorito para o Oscar continua sendo "Cisne Negro", mas sei que dificilmente vencerá "O Discurso do Rei", assim sendo, dou-me por satisfeito e espero, pelo menos, que Natalie Portman fique o prêmio de melhor atriz. Aos interessados, "O Discurso do Rei" vale o preço do ingresso e muito mais... levando-se me consideração os rumos do cinema mundial, é bom saber que ainda há filmes decentes por aí; e com toda certeza este é um deles. 

Direção de Tom Hooper   Produção de Iain Canning, Emile Sherman e Gareth Unwin
Elenco: Colin Firth, Geoffrey Rush e Helena Bonham Carter

2 comentários:

Eliza Grint disse...

Esse filme é incrível! Tu viu a minha opinião no blog e já sabe Hahaha mas vale a pena repetir :P

Gostei MUITO de Cisne Negro também e quase morri de ódio quando vi The Social Network ganhando o Globo de Ouro de melhor filme. Eu espero que essa história não se repita no Oscar!

Alberto Lopes disse...

mas acho que tem grandes chances de acontecer... foi-se o tempo em que analisavam somente os filmes para escolher o melhor...